Fachada da Universidade de Harvard e seus tradicionais tijolinhos vermelhos

De uma forma ou de outra… cheguei a Harvard!

Ela almoçava apressadamente dentro do metrô – uma salada de folhas verdes com algumas frutas picadas de sobremesa. Não deu para terminar a refeição a tempo: guardou a embalagem na bolsa e logo se preparou para descer na estação de metrô chamada “Harvard“, na cidade de Cambridge.

Mesmo nos tempos tecnológicos de hoje, ela trazia vários cadernos e livros nas mãos. Tão logo o trem abriu as portas, ela saiu. Determinada e a passos acelerados, típicos daquelas pessoas que sabem exatamente para onde estão indo.

Continuei atrás dela até chegarmos na base da escada rolante que nos levaria à superfície. A partir dali, ela tornou-se apenas mais uma estudante em meio à uma multidão que fervilhava a estação e as ruas da cidade universitária de Cambridge.

Como a Universidade de Harvard possui um dos mais criteriosos processos seletivos do mundo, é impossível você circular pelo campus sem se dar conta de que você está rodeado de pessoas brilhantes, extremamente inteligentes, talentosas e por que não dizer, possíveis futuros líderes mundiais (afinal de contas, a universidade já formou 25 chefes de Estado, 8 presidentes americanos e cerca de 40 vencedores de prêmio Nobel!).

Ser aceito em Harvard pode ser extremamente desafiador, mas não há restrições para você entrar no campus universitário como um visitante, então foi isso que fiz! 🙂

Símbolo de um Metrô como Transporte Público Se você quiser chegar até o parque de metrô, pegue a linha VERMELHA e desça na estação chamada (claro!) Harvard.

Logo que você ultrapassa os impressionantes portões de ferro, você esquecerá todo o agito e barulho da cidade. Além de todo seu prestígio, a universidade se destaca pelas grandiosas estruturas em tijolinhos vermelhos (que aliás, é bem típico de toda a região de Massachusetts), que tem grandes chances de lhe parecer bastante familiar visto já ter sido cenário de diversos filmes como por exemplo: Garoto Indomável, O Amor de um Pai e o óbvio A Rede Social, que conta a história de Mark Zuckerberg e a criação do Facebook ali mesmo, dentro daquelas paredes de tijolinhos!

Além de Zuckerberg e grandes figuras histórias, outras personalidades ainda atuantes nos dias de hoje também estudaram por ali: Barack Obama, George W. Bush, Bill Gates, os atores Tommy Lee Jones e Matt Damon e a atriz Natalie Portman (curiosamente nem Hillary Clinton nem Donald Trump estão nessa prestigiada lista!).  Emoji de uma risada engraçada com uma piscada

O campus propriamente dito dispõem de alguns escritórios de administração, bibliotecas, museus, uma igreja cristã (Memorial Church), prédios acadêmicos, auditório / teatro (Sanders Theatre) e dos dormitórios dos calouros. Confesso que pra mim o mais legal é a sensação de ver aquele agito dos estudantes – uns naquela correria silenciosa de lá pra cá, outros deitados no gramado com seus laptops abertos, outros simplesmente tomando um sol com um café e o celular nas mãos.

Visão do Pátio do Campus Universitário de Harvard entre árvores verdes

Mas há um detalhe curioso que chama bastante a atenção durante a visita: a estátua de “John Harvard”. Não tem como não reparar nela – geralmente está rodeada de estudantes e principalmente de turistas. Mas por que motivo uma estátua chama tanto a atenção?

Foto da Estátua de John Harvard sentado em uma cadeira com um livro em mãos: conhecida por ser a estátua das três mentirasEm primeiro lugar, repare só no pé lustrado do indivíduo! Os alunos de lá tem o costume de esfregar o pé do “homem” a medida que seguem para as suas aulas, na esperança de que ele vai lhes trazer sorte em sua próxima prova final. (Eu me pergunto: os caras já passaram na hiper mega criteriosa seleção de Harvard e ainda precisam disso? Enfim… #abafa)

Agora, outro fato super interessante é que essa figura é apelidada de “a estátua das três mentiras“. Sabe por que?

1 . A estátua não é bem de John Harvard: Mesmo tendo o nome “John Harvard” escrito na base, a imagem não é, na verdade, do digníssimo. Como na realidade nunca existiram representações vivas do homem, em 1884, Daniel Chester French criou a famosa estátua, mas foi outra pessoa que posou como modelo para a cabeça de John Harvard!

2. Sabe o nome da Universidade? Pois então… o tal “Harvard” não foi o seu fundador: Dá pra acreditar? A estátua diz “fundador”, mas isso também não é verdade. O tal Harvard nem sequer frequentou o colégio, ele só foi o primeiro grande benfeitor da Universidade (o que explica muita coisa!). Ele doou metade de suas propriedades e sua biblioteca que consistia de mais de 400 livros.

3. Harvard não foi fundada em 1638, como está escrito ali: Foi quase isso! Foi fundada em 1636 (seria este um dos primeiros erros de digitação da história “moderna”?),  o que dá a Harvard a honra de ser a instituição de ensino superior mais antiga dos Estados Unidos. O nome original dela era “New College”, mas o nome oficialmente famoso foi dado em 1639, nomeado em homenagem ao tal benfeitor que está hoje sentado em mentiras!

Legal, né? Outros fatos interessantes que eu li a respeito de Harvard e que acho que vale a pena você lembrar quando estiver passeando por lá:

  • Todo o material submetido pelos candidatos é lido criteriosamente por ao menos dois funcionários da equipe de seleção;
  • Em cerca de 30.000 alunos que se inscrevem para o bacharelado, somente 2000 são aprovados;
  • Diferentemente do Brasil, no sistema de ensino americano, o aluno começa os três primeiros semestres cursando uma área abrangente: Artes ou Ciências. A medida que eles vão frequentando as aulas, eles podem decidir de que área mais gostam para que possam então se especializar.
  • Como lá nos States não existe esse mesmo modelo de vestibular que o nosso, as universidades geralmente solicitam aos candidatos o resultado que os alunos obtiveram em dois testes: o Scholastic Aptitude Test (SAT) que mede conhecimentos mais gerais (interpretação de texto, redação, gramática, matemática) e o American College Testing (ACT) que analisa de forma geral todo o estudo dedicado no decorrer dos anos escolares. Uma curiosidade é que a pontuação máxima desses testes é 800, a média geral é de 500, porém a maioria dos alunos aprovados para estudar no Harvard College obtém mais de 600 pontos.
  • E esse é um dos pontos que achei mais interessante: além de boas notas no SAT e ACT, os alunos são avaliados por todo o seu histórico pessoal como por exemplo; se o estudante trabalha ou não, se cuida de irmãos mais novos; quais oportunidades que ele teve na vida, qual a situação de seus pais, se a pessoa demonstra algum interesse em atividades extra-curriculares como por exemplo, o voluntariado, práticas esportivas, se toca algum instrumento… Isso tudo é solicitado no formulário de inscrição e é levado em consideração na análise da comissão.

Pois é… todo esse prestígio não é a toa!

Mas é claro que há quem diga que rola um “QI” especial (quem indica) no processo seletivo também. Dizem que no formulário de aplicação que os candidatos devem preencher tem uma página inteira questionando sobre sua descendência, se você tem parentesco direto com alguém renomado, etc. Há até uma polêmica que surgiu um tempo atrás sobre a resposta que o então John F. Kennedy no alto dos seus 17 anos deu para a pergunta feita pela universidade – “Por que você pretende estudar em Harvard?”. A resposta dele foi tão simplória para os padrões da universidade que levantou uma série de questionamentos…

Colagem com três fotos: duas da Little Free Library - uma caixinha de livros incentivando a leitura e outra é uma visão de um estudante lendo à sombra de uma árvore em frente ao campus.

Eu que adoro livros achei o máximo a Little Free Library – Pequena Biblioteca Gratuita: “Pegue um Livro, retorne um Livro”.

Voltando ao passeio, aqui você poderá visualizar o mapa da universidade ou se preferir imprimir (apesar de ficar em uma letrinha menor), aqui está o PDF para baixar: mapa-do-campus

Nos arredores da Universidade, há um centrinho chamado de Harvard Square, um lugar repleto de restaurantes, lojinhas e duas livrarias bem bacanas: a Coop e a Harvard Bookstore – ambas são daqueles lugares que você encontra tudo quanto é tipo de souvenir. Não há como negar que o lugar é meio “pega turista”, mas mesmo assim é bem interessante e vale a pena conhecer!

De lá, você também pode seguir caminhando pelas simpáticas ruas de Cambridge ou então pegar novamente o metrô até a estação Kendall/MIT (linha vermelha) e conhecer o MIT (Massachussetts Institute of Technology) – outra universidade conceituadíssima, ranqueada como uma das melhores no ensino de matemática, ciências e tecnologia. É outro local vibrante conhecida por ser o lar da inovação (alguns complementam dizendo que não tem o conservadorismo de Stanford e o elitismo de Harvard!).  Dê um passeio pelo campus, aprecie o agito dos alunos, suas salas de aula, laboratórios, dormitórios e os edifícios monumentais da Universidade. Passeie pelo centro atlético e desfrute de uma refeição no Stratton Center (a praça de alimentação é bem legal, aberta dia e noite).

Colagem de duas fotos do M. I. T. - Fachada do campus e do Centro Atlético.

Enfim… uma viagem à Boston não estará completa se você não designar ao menos um período do seu dia para este passeio à cidade vizinha! Emoji de Piscadinha


VOCÊ TAMBÉM PODE SER UM ALUNO DE HARVARD!

Cabeçalho do Website da Universidade de Harvard - Sessão onde constam os Cursos Online

Você sabia que também pode estudar em Harvard sem precisar sair de casa?

Pois então prepare-se para a ótima notícia: a instituição está oferecendo acesso à 20 cursos online totalmente gratuitos com direito à recebimento de um certificado de conclusão que certamente somará muitos pontos ao seu currículo!

Para isso, Harvard criou uma plataforma de ensino chamada de “Harvard Online Learning”, que disponibiliza acesso livre à temas variados. Os assuntos estão divididos em 15 áreas:

  • Artes e Design
  • Negócios e Administração
  • Ciência da Computação
  • Ciência de Dados
  • Economia e Finanças
  • Desenvolvimento Educacional e Organizacional
  • Ciências Ambientais
  • Governo, Leis e Política
  • História
  • Ciências Humanas
  • Matemática e Análise de Dados
  • Medicina e Saúde Pública
  • Religião e Espiritualidade
  • Ciência da Engenharia
  • Ciências Sociais

Os cursos são todos em inglês, e para acessá-los, basta escolher o curso que mais lhe agradar. Na página da universidade, utilize a opção “Filter by Category” para navegar pelos cursos disponíveis, preencha o formulário de cadastro e pronto; o seu acesso estará garantido!Desenho de um chapéu de formando e diploma


Encontrei recentemente este vídeo na internet em que a paulista Tábata Amaral conta um pouquinho sobre a sua experiência de graduação em Ciências Políticas e Astronomia pela Universidade de Harvard. É um vídeo curtinho (2 minutos e 36 s), mas que vale muito a pena!


Que tal salvar a foto abaixo no seu painel dO Pinterest PARA guardar esTe post como inspiração para uma viagem futura? 🙂

De uma Forma ou Outra... Cheguei em HARVARD! - Passando um Dia em Harvard


Viaje com Desconto

Se este post te ajudou, utilize os links abaixo para programar a sua viagem!

Você ajuda o blog e não paga absolutamente nada a mais por isso! 🙂

Que tal pesquisar pelos preços das passagens aéreas mais em conta no dia? Clique aqui e garanta a economia!

HotelReserve o seu hotel em qualquer lugar do mundo pelo Booking ou pelo Hoteis.com clicando nestes links e durma sossegado!

SeguroO seguro morreu de velho! Contrate um seguro de viagem e viaje tranquilo! O pagamento pode ser feito em até 6 x sem juros no cartão ou com 5% de desconto no boleto!

Carro Quer alugar um carro para aquela road-trip sensacional? A cobrança é feita em reais, sem IOF, em até 12 x sem juros no cartão ou com 5% de desconto no boleto!

Chip de CelularE claro… fique sempre conectado durante a sua viagem adquirindo com antecedência um chip para uso no exterior!

(Visited 84 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *